Atualização: garotos tailandeses ainda estão muito fracos para resgate subaquático

“Se tivermos que evacuá-los antes de estarem prontos… nós faremos”, diz governador; mais mergulhadores experientes estão a caminho

Continua a corrida contra o tempo para resgatar os 12 garotos e seu treinador de futebol, presos há 12 dias em um sistema de cavernas alagadas no norte da Tailândia. O último relato médico concluiu que ainda é muito arriscado tentar movimentar o grupo, devido à saúde fragilizada. Hoje, 5/7, a equipe internacional de mergulhadores no local fez um apelo por reforços, de pessoal e equipamentos, para uma possível ação nos próximos dias.

Segundo os Navy Selas, nenhuma tentativa de resgate deve ser feita hoje – porém, a previsão de fortes chuvas no final de semana pressiona a decisão por um plano de extração. A equipe está bombeando oxigênio na câmara para garantir o bem-estar do grupo até lá, enquanto médicos destacam que o treinador e dois dos meninos estão sofrendo de exaustão e desnutrição e alguns deles estão com dor e desarranjos intestinais.

Grandes volumes de água continuam sendo drenados para fora do sistema Tham Luang, 24 horas ao dia, mas as passagens mais críticas seguem inundadas. Equipes de terra ainda não detectaram nenhum ponto alternativo de acesso por onde o grupo possa ser extraído com segurança. O mergulho – por águas turvas, com fluxo e restrições – continua sendo a única opção de/para a entrada das cavernas no momento.

Sistema de bombas consegue baixar 1,5cm no nível de água por hora, se não chover mais

Reforço de mergulhadores

Mais dois renomados mergulhadores britânicos estão voando até a Tailândia para se unir aos esforços de resgate: Jason Mallinson e Chris Jewel. Eles despacharam mais de 500kg de bagagem, incluindo 13 cilindros, 4 rebreathers, muitos tubos de sorbe, 3 roupas secas e uma pilha de adaptadores – os tanques tailandeses têm conexão yoke, enquanto o equipamento dos mergulhadores técnicos são DIN.

Mallinson e Jewel são especialistas em “sump dive” – combinação de mergulho e espeleologia, com alternância de áreas secas e alagadas, incluindo restrições dentro e fora d’água, correnteza e pouca visibilidade – e membros do Cave Diving Group, a mais antiga organização amadora de mergulho técnico e de caverna do mundo. Não é a primeira vez que a dupla mergulhará junto. Em 2013, eles participaram da exploração do exploração do Sistema Huautla, no México, o mais profundo do mundo. Percorreram caverna secas, chegando a 1.464m abaixo da superfície, e realizaram mergulhos de até 81m, atingindo uma profundidade total de 1,545m.

A federação francesa de espeleologia Spéléo Secours Français, que está em contato com o governo Tailandês desde o início das buscas, se ofereceu para ajudar na operação. “Poderíamos levar uma equipe de 20 profissionais, treinados para resgates espeleológicos, usando equipamentos específicos para esse ambiente, para analisar as várias opções para a evacuação de pessoas desaparecidas. Temos especialistas na implementação de balizas de localização e transmissão subterrânea, artífices, médicos de mergulho e mais de uma dúzia de mergulhadores acostumados a penetrações longas em águas de alta turbidez”, declarou a SSF, que aguarda sinal verde das autoridades francesas e tailandesas.

“Nós desenvolvemos uma maca que pode ser utilizada para deslocar uma pessoa através de uma área inundada, mesmo que ela esteja incapacitada de se movimentar. Ela tem flutuabilidade neutra e pode ser facilmente manobrada por mergulhadores experientes. Levaria 4 horas para acessar as vítimas, talvez umas 2 para lhes explicar como funciona o equipamento e o procedimento, e mais umas 4 ou 5 para levar cada um à superfície”, disse Olivier Lanet, um dos mergulhadores da federação francesa.

O britânico Robert Charles Harper, durante os esforços de resgate

Ajuda internacional

Muitos outros países estão contribuindo com governo tailandês nos esforços de resgate.

Austrália: mergulhadores da polícia se uniram ao time de resgate, logística e planejamento

China: 6 especialistas em da fundação NGO Beijing Peaceland estão apoiando os mergulhadores

Estados Unidos: enviou 30 militares, incluindo mergulhadores, do comando Indo-Pacífico (Pacom)

Israel: a companhia Maxtech Networks está provendo equipamentos de rádio e comunicação

Laos e Myanmar: países vizinhos à Tailândia, enviaram profissionais de resgate, socorristas e mergulhadores

Reino Unido: Já há 3 reconhecidos mergulhadores resgatadores britânicos no local (Robert Charles Harper, Richard William Stanton e John Volanthen – que foram os primeiros a localizar os garotos) e mais 2 chegam hoje à noite

Perspectiva das restrições e atuais áreas alagadas no sistema Tham Luang

Opções de resgate

Enquanto os mergulhadores trabalham abaixo da superfície, equipes estão vasculhando as encostas acima das cavernas, procurando veios e possíveis pontos de entrada para a câmara onde os garotos e o treinador estão abrigados. “Com nossos recursos de trekking na selva, cerca de 30 equipes estão inspecionando cada centímetro em busca de chaminés naturais ou buracos de conexão com a superfície onde possamos descer”, disse Narongsak Osottanakorn, governador da província Chiang Rai. Segundo ele, as tentativas de perfurar uma passagem através da rocha foram deixadas de lada por enquanto.

O time de resgate, porém, está à mercê da temporada de monções, e pode precisar agir rapidamente para vencer as chuvas torrenciais que se aproximam. “Se tivermos que evacuá-los antes de estarem prontos… nós faremos. Mas fazer isso seria o últimos dos recursos”, declarou o governador, ressaltando que “já há 13 sets de equipamentos de mergulho prontos no local”. Se mais câmaras do sistema forem inundadas, o contato com o grupo pode ser bloqueado por até 4 meses.

Os coordenadores das operações estão cautelosamente observando os céu, e acreditam que a área continuará relativamente seca até sábado; chances de tempestades são grandes a partir de domingo. “No período de buscas, estávamos lutando contra o tempo; agora, lutamos contra a água. Estamos drenando o máximo que a nossa capacidade permite e bloqueando todos os cursos de água que encontramos, mas há um volume que continua fluindo para dentro do sistema”, ressaltou Osottanakorn.

Mais de 128 milhões de litros já foram bombeados, e o nível de água baixou mais de 40cm desde ontem. As equipes já conseguem caminhar por um trajeto de 1,5km entre a entrada e a “terceira câmara”, onde concentra-se a logística das operações subaquáticas. Um trabalho incessante de mais de 1.000 militares, sob condições extremas: o calor tem sido sufocante e implacável, passando dos 30ºC, e os túneis estão submersos em um espessa camada de lama suja e escorregadia.

Previsão de chuvas para os próximos dias na região

As últimas imagens, divulgadas ontem, mostram os garotos em bom estado de saúde, apesar de debilitados pelo longo período no escuro, sem comer ou se movimentar. Desde que foram encontrados, na segunda-feira, eles estão acompanhados por médicos e socorristas da Marinha tailandesa, recebendo tratamento e alimentação. Também iniciaram o treinamento de mergulho, para se acostumar com os equipamentos e a máscara full-face que seria utilizada no resgate subaquático.

Um dos Navy Seals que esteve com eles disse que o time de futebol “está sempre perguntando sobre a Copa do Mundo”. Ainda não foi possível estabelecer uma linha de comunicação direta com a caverna, então os mergulhadores seguem a todo momento percorrendo o longo e estreito caminho de 2,5km – uma viagem de até 10 horas ida-e-volta. Hoje, tentarão novamente a instalação de um telefone militar para que os garotos possam falar com seus familiares e com as equipes de resgate.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.