Unesco aumenta a Reserva da Biosfera de Galapagos para 14,6 milhões de hectares

O Conselho Internacional de Coordenação do Programa sobre o Homem e a Biosfera, reunido em Paris, aprovou a expansão da Reserva da Biosfera do Arquipélago de Colón para 14,6 milhões de hectares e seu novo nome como Reserva da Biosfera de Galápagos.

Esta decisão do programa da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) faz do arquipélago uma das maiores áreas marinhas de importância internacional do mundo , segundo um comunicado do Parque Nacional de Galápagos (PNG). .

Danny Rueda, guardaparque Galapagos, disse que esta “é uma conquista para o país e para o mundo, porque com o aumento da reserva como o Ministério do Meio Ambiente vai promover e fortalecer os mecanismos para a conservação dos ecossistemas e da biodiversidade, o desenvolvimento econômico e recursos humanos sustentáveis ​​das populações locais; e apoio logístico para projetos educacionais e pesquisas sobre o meio ambiente. “

A designação reconhece que todos os serviços ambientais gerados na reserva são prioridades para atender às necessidades das comunidades locais.

Os próximos passos serão a elaboração do plano de manejo e a criação de um comitê de gestão da Reserva da Biosfera, um espaço que ofereça um papel de liderança às autoridades dos Governos Autônomos Descentralizados e às comunidades locais.

A Reserva da Biosfera, criada em 1984, incluía apenas a área terrestre com 772 mil hectares. Com o aumento da área marinha, chegam aos 14,6 milhões de hectares aprovados pela Unesco.

Esse processo começou em 2015 e a proposta foi apresentada no ano passado para a Unesco. Ele também contou com a presença e apoio do Ministério do Meio Ambiente através da Direcção de PNG, Projeto Bresep do Governo da Flandres, Conservation International e WildAid, pois atraiu recorde sustentação técnica, social, ambiental e cartograficamente e alcançar extensão.

Galápagos, declarado em 1978 Patrimônio Natural da Humanidade, é de grande interesse para a ciência por sua flora e fauna únicas no mundo. Além disso, dentro de sua reserva marinha existe um santuário de 38.000 km2, entre as ilhas Darwin e Wolf, onde fica a zona com maior população de tubarões do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.