Projeto Brazilian Marine Parks realiza expedição para a Laje de Santos

Texto: Luiza Vieira e Erika Beux | Fotos: GoMartins e Erika Beux

Na última sexta-feira, 21/06, parte da equipe do projeto Open Explorer da National Geographic, Brazilian Marine Parks, foi ao Parque Estadual Marinho da Laje de Santos com objetivo de filmar o local na expectativa de encontrar mantas. A expedição veio da parceria entre Felipe Martins, Embaixador da Padi, pesquisadores do Projeto Mantas do Brasil, Tartarugas Marinhas das Ilhas, Erika Beux e destemidos mergulhadores que aceitaram o desafio de encarar o mar revolto, cuja previsão climática alertava para ressaca naquele dia.

Legenda: Marina Tune – São Vicente

Mesmo com todas as condições adversas com a passagem de uma frente fria que avançou pelo litoral paulista no feriado de Corpus Christis, o grupo optou por manter a operação e a saída da Marina Tune em São Vicente foi adiada em 1h, pois havia expectativa do mar acalmar ao longo do dia.

Legenda: Embaixador da PADI e CEO da produtora GoMartins, Felipe Martins.

A navegação de ida até a Laje de Santos – cerca de 40km da costa – foi um tanto conturbada devido às grandes ondas que atingiam o barco. Felizmente, a situação virou e, ao chegar no parque marinho, o mar já estava mais calmo e a água, espetacular;  azul, com aproximadamente 15 metros de visibilidade, temperatura de 24 graus e uma correnteza fraca.

O grupo realizou dois mergulhos no lado oeste da Laje de Santos, na região entre o Portinho e Naufrágio Moreia.

Dessa vez, as mantas não vieram, mas foi possível avistar diversas espécies de animais como bodiões, frades, garoupas, olho-de-boi, xaréu branco, pargos, cardume de salemas e de raias-prego, bem como tartarugas-verdes. O lixo, hoje parte do ecossistema marinho, também estava presente.

Legenda: Cantherhines macrocerus

Regiões portuárias como a Laje de Santos, com grande fluxo de navios, têm uma propensão maior a proliferação de doenças no ambiente aquático por estes carregarem uma vasta quantidade de materiais orgânicos e trazerem consigo poluição de outros lugares.

Na foto, Felipe Martins mostra um saco de salgadinho que, ao que tudo indica, foi mordido por uma tartaruga.

Estas são algumas das possíveis causas da fibropapilomatose, um herpes vírus que causa verrugas nos animais nas partes moles e pode chegar a matá-los quando obstruí o aparelho digestório e reprodutivo. Durante um dos mergulhos, a equipe avistou uma tartaruga-verde que sofre do problema.

A fibropapilomatose ocorre com mais frequência nas espécies Chelonia mydas, principalmente nas tartarugas-verdes juvenis.

Segundo Carol Luchetta, bióloga coordenadora do Projeto Tartaruga Marinha das Ilhas, a causa ainda é incerta.

“O que se observa é que em lugares mais poluídos há mais tartarugas doentes, por isso que se imagina que tenha alguma relação com a poluição. E, quando se diz poluição, não é só a questão de plástico, mas também de agrotóxicos. Por isso, perto de lugares onde têm plantação, as tartarugas sempre aparecem mais doentes.”

Tartaruga-verde vista durante mergulho.

A pesquisadora comenta que a frequência das tartarugas doentes tem aumentado, assim como o tamanho dos tumores nelas encontrados.

As imagens registradas serão utilizadas na produção de um vídeo para a PADI, uma das maiores certificadoras de mergulho do mundo. Além de divulgar internacionalmente a experiência de mergulhar nas belas águas brasileiras, o projeto visa também a conscientizar a sociedade sobre a importância da preservação do ecossistema marinho.

Pomacanthus paru

“Mais de 70% da superfície do Planeta é coberta por água e os cientistas estimam que mais de 80% das espécies marinhas ainda não foram descobertas. Um prato cheio para nossos aventureiros aquáticos”, comenta Felipe, que também é CEO da GoMartins, produtora dos vídeos.

Felipe contemplando o mergulho na Laje de Santos

O projeto Open Explorer da National Geographic, Brazilian Marine Parks, já passou por outros locais de enorme significância para o ecossistema marinho do Brasil como Ilha Grande, Angra Dos Reis, Abrolhos e  Arraial do Cabo. A próxima expedição será para Fernando de Noronha, um dos destinos mais procurados pelos mergulhadores. O trabalho da equipe, composta por Felipe Martins, Carol Brenck, Luiza Vieira e Roberto Benatti pode ser acompanhado aqui.  

Assista ao teaser do que vai ao ar nos próximos dias:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.