Novo ICMBio faz corpo mole na ampliação de Abrolhos

Novo ICMBio faz corpo mole na ampliação de Abrolhos

ICMBio, com nova direção, faz corpo mole na ampliação do Parque Nacional Marinho de Abrolhos

É, o país não é para amadores…Na última vez que escrevemos sobre áreas marinhas protegidas, apesar do entusiasmo pela decisão do Governo Temer que acabava de promulgar duas novas e imensas áreas protegidas que fizeram com que saltássemos de míseros 1,5% de proteção, para 25%, alertávamos para as dificuldades que estavam pela frente. Dizíamos que os problemas começariam com o novo Governo que vem aí, pelo simples fato de que, com 25% de proteção, seria difícil avançar na criação de áreas protegidas no litoral, que continua ao deus- dará. Mas nos enganamos. Os problemas começaram já no fim do mandato de Temer com o ‘ICMBio faz corpo mole na ampliação de Abrolhos’.

Novo presidente do ICMBio

Um dos méritos de Temer, no que diz respeito ao meio ambiente, foi o ‘dream team’ que comandava os órgãos relacionados. Como ministro, Zéquinha Sarney, na presidência do Ibama, Ricardo Soavinski. Tudo começou publicamente, com um artigo sugerindo que Temer poderia entrar para a historia, ao menos do ambientalismo. O presidente foi mordido pelo texto, enquanto o ‘dream team’ pavimentava o caminho para chegarmos onde queríamos: a proteção às ilhas oceânicas de Trindade e Martim Vaz, e o arquipélago de São Pedro e São Paulo. Mas logo depois veio a desincompatibilização. Sarney Filho deixou o ministério, assim como Soavinski, a presidência do Ibama. Num primeiro momento, o nome indicado para substituir Ricardo Soavinski, Cairo Tavares, do PRO (político não ligado a área ambiental), foi amplamente criticado. Seria uma nova moeda de troca com partidos políticos. Essa prática nefasta que impera no Brasil desde priscas eras: uma capitania hereditária para os amigos do rei chamarem de ‘sua’. A imediata e forte reação, provocou recuo, e…

Paulo Carneiro assume e ICMBio…

Aconteceu agora, em junho, quando o analista ambiental foi alçado a posição de presidente do órgão. O primeiro discurso agradou. Paulo, escolado e antenado, se disse ‘orgulhoso’  e informou que ‘continuaria o trabalho desenvolvido em parceria com ONGs, empresários, servidores e colaboradores’, ressaltando ‘conquistas como a ‘compensação ambiental‘ que permite aumentar o prazo para a contratação de brigadistas além da ‘criação das unidades de conservação marinhas‘. Mas…

…E ICMBio faz corpo mole na ampliação de Abrolhos…

O que era doce acabou? Não se depender de nós. Paulo Carneiro que se cuide. E por que? Porque um dos processos que estavam prontos, e há vários, dizia respeito a antigo pleito de ambientalistas: a ampliação do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, único banco de corais do Atlântico Sul, já sofrendo sérias consequências do aquecimento global, poluição, etc. Por sua vital importância, Abrolhos é um destes consensos entre todos que se preocupam com o tema: academia, ambientalistas, e o próprio pessoal do ICMBio, tanto que o projeto está pronto. Basta levá-lo ao presidente. Mas…

Paulo Carneiro, novo presidente do ICMBio ameaça largar Abrolhos à pesca industrial

Notícias de nossos aliados do ICMBio dão conta que técnicos da casa propõe abandonar o processo de ampliação do Parque Nacional Marinho de Abrolhos por medo da reação dos pescadores e dificuldades políticas. Ora, estes dois empecilhos sempre estiveram na pauta. E, mesmo assim, conseguimos avanços extraordinários neste último Governo. E nos anteriores, também. Portanto, que procure outra desculpa. Se não quer meter a mão na graxa, melhor seria a demissão de Paulo Carneiro. Quem senta na cadeira, não pode ‘temer’ reações da indústria da pesca, muito menos ‘dificuldades políticas’ afinal, quando foi que o país não contou com elas? Só mesmo, antes de Cabral…

Reaja, Paulo Carneiro!

É o que se espera de você. Ou pensou que seria fácil? Se você é realmente um analista ambiental, sabe dos problemas das áreas marinhas protegidas, sem equipes, equipamentos, ou verbas. Sabe que o loby da pesca é poderoso, mas que a academia, ONGs, e empresários dignos, estão a espera para protegê-lo, e dar a cara para bater na sustentação à ampliação de Abrolhos, e tantas outras áreas a serem declaradas de proteção integral no litoral. Não manche a cadeira de quem você sucedeu, Paulo, ficaria muito feio depois do belo trabalho de Ricardo Soavinski. É preciso correr riscos? Claro que sim, já dizia nosso maior escritor: “viver é perigoso”, Paulo, faz parte do jogo. Honre seu currículo, e as dezenas de técnicos que hoje comanda. Não pedimos nada mais que trabalho. Faça! E comece com Abrolhos.

Fonte: Mar sem Fim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.