Naufrágio do cargueiro Manasoo, é encontrado quase intacto no lago Huron

Um antigo navio de carga que naufragou há 90 anos no lago Huron, no Canadá, acaba de ser descoberto por uma equipe de mergulhadores. De acordo com eles, a embarcação está praticamente intacta e repousa no fundo a 60 metros de profundidade.

Imagem em 3D mostra a atual posição do naufrágio no fundo do lago Huron

Navio amaldiçoado

O “Manasoo”, que foi construído em Glasgow em 1888 e passou 39 anos nas docas com esse nome, foi rebatizado de Macassa e de acordo com as superstições de capitães e marinheiros, os navios e barcos que mudam de nome precisam honrar Poseidon, conhecido como deus das águas, antes de seguirem seu caminho, ou serão amaldiçoados com má sorte, explicou Cris Kohl, historiadora marítima.

Manasoo antes de naufragar (foto: Kohl-Forsberg Archives)

O “Manasoo”, teve um destino trágico: afundou e causou a morte de 16 tripulantes, depois do acidente que não teve causa definida, ocorrido em 1928, passaram-se décadas sem encontrar vestígios dos destroços do navio, mesmo com muitas buscas para recuperar os corpos das pessoas desaparecidas.

Junto com os companheiros Ken Merryman e Jerry Eliason, Kohl localizou os destroços a uma profundidade de 60 metros perto de Griffith Island em Ontário.

Merryman é mergulhador técnico e cinegrafista subaquático, Eliason criou diversos equipamentos para encontrar naufrágios e Kohl é pesquisador.

Em 2017, Merryman e Eliason encontraram o Jane Miller, que afundou em uma tempestade no final de 1881 perto de Wiarton, e no dia seguinte ao encontrar Manasoo com Kohl, eles encontraram o naufrágio histórico da J.H. Jones, perdido perto de Lion’s Head em 1906.

Foi Kohl quem encorajou o último e bem sucedido scan para encontrar o Manasoo, mais perto da costa, depois que o trio já havia pesquisado mais de 30 quilômetros quadrados de água, disse Merryman, um operador de passeios de mergulho e entusiasta do naufrágio.

“Todos nós desistimos”, disse ele.

Al Given, um residente de longa data de Wiarton, mergulhador e ex-prefeito, havia dito a eles o que se tornou uma coisa fundamental. Um amigo de mergulho antigo alegou ter encontrado o naufrágio em 45 metros de profundidade, a 800 metros da costa, mas manteve-o em segredo.

“Quase na hora em que estávamos prontos para largar tudo, Poom! Lá estava, ”Merryman disse.

A água profunda provavelmente ajudou a preservar a embarcação, ele pensa.

Mais tarde Kohl encontrou um relato de 1928 do naufrágio e descobriu que o naufrágio havia sido localizado apenas algumas semanas depois de afundar. “Uma nota de jornal que encontrei até deu a localização exata e a profundidade exata do naufrágio!”, Disse Kohl.

Kohl e sua esposa, a pesquisadora e escritora Joan Forsberg, escreveram 16 livros sobre naufrágios dos Grandes Lagos. Eles leram vários relatos sobre o naufrágio de Manasoo, mas nenhum mencionou a descoberta de 1928 do naufrágio.

O navio estava em sua última viagem da temporada de Manitowaning na Ilha de Manitoulin com destino a Owen Sound. Às 2 da manhã, encontrou uma tempestade.

A embarcação começou fazer água na popa e, percebendo que algo estava dando errado, o capitão dirigiu seu navio para próximo da costa, o farol da ilha Griffith ao lado de estibordo do navio. Mas o navio afundou antes que pudesse chegar em terra.

O capitão, três marinheiros e um passageiro navegaram em um bote salva-vidas por 60 horas antes de serem resgatados pelo navio que passava por Manitoba.

A embarcação repousa no fundo do lago e está com sua proa apontando para um ângulo de aproximadamente 10 a 15 graus em direção à superfície.

Merryman disse, ao rastrear o número da placa ainda presa ao Chevrolet ’27  eles descobriram que o proprietário era Donald Wallace, de Oil Springs, a sudoeste de Sarnia.

Wallace e seu sócio, que morreram quando o navio afundou, compraram gado em Manitoulin e os levavam para casa. Esforços para encontrar parentes de Wallace perto de Oil Springs foram feitos, mas até agora sem muita sorte.

Causas do naufrágio:

A causa do naufrágio continua sendo um mistério, embora se acredite que a carga de 116 vacas possa ter mudado o destino do navio durante uma tempestade, nenhum vestígio de restos humanos ou animais foram encontrados dentro do naufrágio, o que intriga os pesquisadores.

Veja esse vídeo com imagens do naufrágio:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.