John Volanthen um dos mergulhadores que resgatou o time de futebol tailandês da caverna recebe a George Medal no Palácio de Buckingham

“É toda a equipe que deve ter crédito” disse Volanthen ao receber a homenagem diretamente da rainha da Inglaterra.

No ano passado ele e uma equipe de mergulhadores do mundo todo fizeram o impossível para salvar o time de futebol preso em uma caverna inundada na Tailândia, ele foi condecorado com a Medalha George pela Rainha por sua bravura.

John Volanthen cumprimentando a Rainha (AFP/Getty Images)

Depois de receber sua honra da rainha no Palácio de Buckingham , o morador de Bristol, John Volanthen, enfatizou que ele era apenas um membro de uma equipe de resgate muito grande e bem-estruturada em junho de 2018.

O mergulhador de 47 anos disse que “toda a equipe precisa levar o crédito” por salvar os 12 meninos e seu técnico, que ficaram presos na caverna na província de Chiang Rai depois que as chuvas de monção começaram.

Veja a cobertura completa aqui na Divemag e relembre o caso

Volanthen, que foi o primeiro a chegar ao grupo ao lado do britânico Richard Stanton, recebeu o segundo maior prêmio de galhardia civil nesta terça-feira.

Parte do time de resgate (da esquerda para a direita): Chris Jewell, Mike Clayton, Rick Stanton, Lance-corporal Connor Rae, Josh Bratchley, Gary Mitchell and Jim Way (PA Archive/PA Images)

Mas ele disse: “Fizemos parte de um time muito maior, então, embora alguns de nós tenham sido reconhecidos individualmente, é toda a equipe que precisa levar o crédito.

Outros membros da equipe de mergulhadores britânicos que participaram do resgate, incluindo Stanton, receberão homenagens em data posterior.

Apesar de seu prêmio por bravura, o Sr. Volanthen disse que o que os mergulhadores de resgate voluntários fazem é “longe de ser corajoso”.

Ele disse: “O que fazemos é muito calmo e calculado e é completamente o oposto de corajoso – é realmente. Damos um passo em frente e é sobre ser sensato e cuidadoso – realmente é assim que fomos bem sucedidos”.

As crianças, com idades entre 11 e 16 anos e membros da equipe de futebol juvenil local dos Wild Boars, haviam pedalado com seu treinador até as cavernas para explorar quando elas ficaram isoladas lá dentro.

Volanthen, que trabalha em TI, e Stanton, de Coventry, chegaram a eles no início de julho.

Mais um dos garotos sendo retirado da caverna | Foto: (AFP/Getty Images)

Os mergulhadores britânicos responderam a um apelo das autoridades Tailandesas para se juntarem à vasta busca depois que o grupo desapareceu no sistema de cavernas Tham Luang Nang Non em 23 de junho.

Depois que os meninos foram descobertos, as equipes de resgate ainda enfrentavam a tarefa traiçoeira de manter a equipe em segurança, e a persistente ameaça de mau tempo aumentou a tensão em um drama que dominou o mundo por mais de duas semanas.

Sete Thai Royal Navy Seals e um médico juntaram-se aos meninos na caverna e os jovens receberam aulas de mergulho enquanto as autoridades continuavam a avaliar as duas opções – esperar que as condições melhorassem ou trazer os meninos para fora o mais rápido possível.

Com mais enchentes esperadas e o ar se exaurindo, os meninos tiveram que ser guiados por quase uma milha no complexo de cavernas inundadas e passagens apertadas.

A alegria que saudou o surgimento do último da equipe em 10 de julho repercutiu em todo o mundo.

Os meninos dentro da caverna Tham Luang cave (AFP/Getty Images)

No momento em que chegaram aos rapazes pela primeira vez, o sr. Volanthen disse: “Em uma caverna às vezes é mais fácil cheirar os humanos do que vê-los”.

Momento em que um dos garotos é retirado da caverna (AFP/Getty Images)

“Nós estávamos esperando não encontrá-los todos vivos. O que nós sentimos, nós pensamos que algumas ou todas as crianças estavam mortas, então encontrá-las todas vivas foi absolutamente fantástico.”

O Sr. Volanthen, que também é um chefe de escoteiros, disse: “Incentivar as crianças a ir ao ar livre e também a explorar é uma coisa positiva. Se eu puder deixar uma mensagem é essa:

“é divertido estar lá”. junto a natureza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.